“Apenas os pequenos segredos precisam ser guardados, os grandes ninguém acredita” (H. Marshall)

APRESENTAÇÃO ........ HOME......... INICIAL...... .....EDITORA............VIDEOS.......... GRUPOS ...... . GLOSSÁRIO

terça-feira, 25 de maio de 2010

Escolas de Iluminação: a grande “novidade” espiritual


Com a entrada do último ciclo racial aberto em 2012, como demonstram as profecias maia-nahuas, será chegada a hora de se cumprir todas as profecias destinadas à definitiva redenção espiritual da espécie humana.
Existe aquele dom que representa a suprema característica da condição humana, que é o dom da consciência, estando o livre-arbítrio diretamente relacionado a isto. Contudo, esta consciência é em princípio tão somente embrionária, ela pode ser “apagada”, obnubilada, reprimida, não-cultivada. E com isto, tudo o que representa a condição humana, pode ser levado a perder...

Ora, o problema central da condição humana, que é o resgate ou a afirmação da Alma, está todavia longe de ser resolvido. O amadorismo e a distorção dos fatos espirituais, não é um assunto exclusivo das seitas e dos novatos. Diante deste quadro, merece denúncia as “ilusões” propagadas pelas religiões quando difundem indiscriminadamente conceitos como os de salvação e de reencarnação, como se tal coisa fosse universal e não-condicional. O Cristianismo ao menos sempre se debateu quanto às condições da salvação, não obstante ter sido muitas vezes condescendente, até por razões políticas.

No Hinduísmo e em muitas outras religiões, a reencarnação surgiu da mesma forma como um preceito espiritual, mas depois caiu no “gosto” popular, provavelmente pelas mesmas razões.
Outro tanto se deve dizer da idéia da iluminação e sua contraparte ocidental, a ressurreição. Tudo isto tem sido visto mais como superstição, do que na sua rigorosa veracidade. No Budismo, é comum se oferecer a “iluminação” a “todos” que se sujeitam a fazer algum esforço mental, e a “ressurreição” judaico-cristã , além de supostamente atingir a massa dos fiéis (o que quer que isto signifique), é vista mais como uma questão física do que espiritual.

Como a verdadeira iluminação ainda não tem sido acessível de forma coletiva e racial, mas antes uma conquista supra-humana, ou mais própria daqueles raros que integram os quadros da Hierarquia, é natural que o assunto se dilua entre aqueles discípulos e iniciados que tentam tratar do tema à sua maneira.

Por esta razão, não nos cansamos de insistir que a iluminação (que os tratados do Oriente avaliam em diversos graus) é muito mais do que uma simples “experiência da consciência”, a qual se confunde com insights acessíveis pela fé ou pela meditação, e que alguns até pretendem alcançar com drogas enteógenas e recursos afins. A raridade desta experiência humana –para não falar da sua impossibilidade tácita até então-, tem levado a tais distorções. Os xamãs são os pioneiros nas aventuras da consciência, e seus recursos não tem deixado de se oferecer para “antever” estas possibilidades da Alma através de atalhos perigosos e desnorteadores, salvo quando usados com critério, raro entre os buscadores da luz.

A verdadeira iluminação –que chamamos também de “iluminação científica”, para diferenciar do seu aspecto “apenas” consciencial- , envolve uma revolução energética completa até à ascensão da Kundalini, representando muito mais do que um êxtase da consciência, mas uma glorificação de todo o Ser envolvendo o próprio corpo físico, que passa a gozar de um novo patamar vibratório, facilmente detectável em termos científicos.

Para chegar a isto, é preciso encetar um treinamento criterioso e criativo com a energia sutil, além de contar com um instrutor experiente, pois os esforços podem não ser pequenos, além de integrar um modus vivendi diferenciado durante certo período, a fim de preservar o tônus vibracional, e assim poder investir e aumentá-lo até o ponto necessário.

Tradicionalmente, um “iniciado” que não se sujeitou a um mestre e a uma Escola não pode ser levado a sério, e tecnicamente falando, ele nem pode ser considerado como tal. Na pior das hipóteses, ele terá um orientador interno ao qual se devotará, enquanto busca na face da Terra instrutores hábeis que possam auxiliá-lo nas suas procuras.

Da mesma forma, o iniciado será necessariamente uma pessoa socialmente engajada, porque este é o grau da liderança. No amadorismo new age existe muito sectarismo e individualismo, movido por utopias deslocadas que levam a trocar a realidade pela imaginação ou a remota aspiração. Contudo, o iniciado sabe que ele está em evolução e que todas as outras pessoas também estão. De modo que está aberto para crescer e auxiliar. Como um ente social, terá participado já de escolas e de comunidades nas suas etapas de aprendiz e discípulo, na busca do conhecimento e da comunhão das almas, até poder se afirmar como um legítimo instrutor e assim cumprir a missão que aceitou ao entrar na Senda.

O Plano da Hierarquia

A grande instrutora Alice A. Bailey, chegou a anunciar em meados do século passado que todos os esforços encetados pela Hierarquia em influenciar “canais” de comunicação superior como foram Helena P. Blavatsky e ela própria, Bailey, entre outros, se destinavam a preparar a Humanidade para a Nova Era e a conduzir à reabertura das verdadeiras Escolas de Iniciação.

Na verdade, tal "preparação" se entenderia mais como uma recapitulação necessária, no sentido de restaurar a essência da espiritualidade árya, visando catapultar a humanidade para o seu novo ciclo racial que inicia em 2.012, segundo o calendário racial maia-nahua. É tarefa da sétima sub-raça (que é a brasileira neste ciclo áryo), em especial, reunir a tudo e efetuar esta restauração. O sentido do sétimo Dia de criação, que não envolve esforços criativos, está precisamente nesta síntese congregadora e na celebração do Todo.

Por esta razão, ensinamentos precisos sobre a iniciação solar tem sido conferidos, sempre de algum modo ligados aos Mistérios de Shambala e ao caminho do guerreiro espiritual, porque esta é a natureza do iniciado, que tem como técnica básica a “ioga mental” ou meditação, em especial a meditação criativa na luz, entre outros recursos do Ocultismo Prático.

É essencial, portanto, que muitos realizem estes esforços para "atualizar" a consciência, tendo em vista a mudança das datas raciais e os desafios que isto traz. Cabe confiar no calendário maia-nahua e afins, porque eles são científicos em toda a amplidão do termo. Quer dizer: trabalham com ciclo “racionais” (ao contrário de outros ciclos orientais simbólicos, algo ocultos por véus) e se confirmam pelos fatos, como podemos observar nos tempos atuais.

É preciso que uma massa humana se inicie realmente na Senda maior, conquistando o grau solar (Terceira Iniciação), recebendo o “batismo de luz”, a fim de que a chegada dos novos tempos encontre pessoas preparadas para o final “batismo de fogo” destinado à humanidade, na conclusão do seu ciclo evolutivo. Somente assim se começará a equilibrar as coisas, oferecendo os fogos da criação, em contrapartida aos focos da destruição que ameaçam toda a Terra.

O “Plano da Hierarquia” divulgado por Bailey na obra “Os Raios e as Iniciações”, formulava que o ciclo de revelações centralizado em Helena P. Blavatsky configurava a organização das Escolas de Aspirantes à iniciação; sob o beneplácito da Loja Himalaya dos Mestres. Na seqüência, o ciclo centralizado nela mesma, Alice A. Bailey, já oferecia informações e treinamento para o mais avançado nível de discipulado. E tudo isto iria ainda ser coroado por esforços da Hierarquia em torno da virada do milênio, envolvendo a reabertura das Escolas de Iniciação e a própria manifestação da Hierarquia. A questão da geosofia ou da geografia sagrada, também emerge no sétimo momento, visando preparar a manifestação do Reino de Deus e da Hierarquia de Luz.

Analisando o teor das revelações conferidas nestes ciclos anteriores, quase assombra a sua riqueza e profundidade, afinal a tônica mental é dominante e matiza toda a iniciação árya. Tal coisa testemunha também a seriedade do Plano da Hierarquia e chama a atenção para a sua final conclusão. Uma das coisas que confirma a análise de Bailey, é revelação progressiva, a natureza do pragmatismo e a amplitude das informações trazidas em cada um destes ciclos de “impressões” hierárquicas. A saber:

a. Aspirantes .... Escola Teosófica (teosofia, ênfase na religião) ............ Jnana Yoga
b. Discípulos .... Escola Arcana (antroposofia, ênfase no misticismo) ... Raja Yoga
c. Iniciados ...... Escola Agartha (geosofia, ênfase no ocultismo) ........... Agni Yoga

Assim, a Teosofia trouxe muita informação nova, porém sob uma capa ainda ampla de véus e com um teor espiritual centrado na “ética”, na fraternidade e em técnicas algo antigas, embora áryas, mas não-esotéricas. É notório que a grande característica do teosofista, é o estudo e o “conhecimento”, vindo a trabalhar assim a mente concreta e preparar o contato com o Eu Superior ou a Alma, meta da Jnana Yoga.

A Escola Arcana de Bailey, foi mais prática na matéria do ocultismo em si, tratando de iogas mais secretas ou “novas”, muito embora demandasse bastante esforço ao pesquisador ter acesso à certas informações ocultas. Um estudante da Escola Arcana ou um praticante dos ensinos da Filosofia Esotérica de Bailey, prima pela meditação ocultista profunda e pelo contato íntimo com a Hierarquia, através do desenvolvimento do Eu Superior, meta da Raja Yoga, e ainda além.

Já no novo ciclo centrado na Escola Agartha, o conhecimento é plural e o tema das iogas avançadas é dado de forma aberta e didática, visando a conclusão do Plano de preparação da humanidade para a Nova Era -e também para a Nova Raça-raiz, quando a iluminação “científica” estará finalmente acessível à humanidade. Um estudante agarthino trata da alquimia mais avançada e da criatividade espiritual, com energias que superam a esfera do Eu superior e contatam a própria Mônada, meta da Agni Yoga.

Da obra "Magia Branca & Teurgia - Oriens et Ocidens", Luís A. W. Salvi.

Leia também

9 comentários:

  1. Maravilhoso, mais gostaria de saber como tudo isto se encaixa no nosso dia a dia, porque o que imaginamos tem uma meta, mais é cortado por fatos que acontecem na nossa vida diária. Porisso quero entender como estar disponivel à estas canalizações energéticas, para podermos saber qual a maneira certa de agir para poder enteragir com Elas. Cida Guedes

    ResponderExcluir
  2. História real de Iluminação espiritual e kundalini.

    Contarei em resumo rápido o que passei até chegar a experiência direta da iluminação, em 1991 (tinha 19 anos) sofri um acidente de carro, no qual bati a cabeça, mas especificamente a testa no volante, foram quase 6 anos de dor de cabeça sobre humana até dormindo, na verdade só dormia 1 hora por noite nos 4 primeiros anos, o fato é que isso me levou a uma concentração mental além do humano para suportar a dor,,,,,,, também entrei numa fase de reflexão profunda sobre o apego a matéria, visto que o carro era da minha mãe e ela sofria por eu ter batido seu carro, eu apenas pensava que era só matéria e mais nada, fiz todos os exames médicos da época, vários especialistas, tumografia computadorizada e não se descobria nada anormal, também comecei a sentir uma espécie de pressão descomunal nas genitálias e um enregecimento dos músculos da costa uns 15 cm abaixo da nuca e comecei a sentir como se o meu corpo estivesse entrando numa pressão violenta por dentro, às vezes sentia a pressão tão forte nas genitálias que me masturbava para aliviar a pressão e também comecei a sentir como se estivesse chumbado no planeta, comecei a sentir também como se eu estivesse desconectado do mundo, universo, uma sensação horripilante, parecia que era uma pedra andante, não sentia nada por ninguém, parecia que meu coração tinha secado completamente, não sentia amor por nada nem ninguém, comecei a ter pensamentos macabros, mas era como se uma parte de mim estivesse lá observando tudo o que ocorria no meu interior, na minha mente, parecia que estava lutando na minha própria mente com um exército de milhões, a cada dia sentia eu esclarecendo minha própria mente o tempo todo, comecei a estudar livros espiritualistas, espíritas, yoga, ramatis, e aplicar os ensinamentos de Jesus, ramatis e tudo que sentia que era bom pra mim, comecei a frequentar um centro kardecista e a participar das obras de caridade, nesse mesmo período conheci uma garota que fez meu coração se mover, mas ao mesmo tempo sentia que um dia ela iria me deixar, comecei a sentir amor por ela, coisa que me espantou porque até o momento não sentia nada nem por ninguém e por nada, me sentia um robô andante, e depois de 1 ano de namoro ela me deixou, ela já tinha 16 anos e eu 24, o fato é que não transavamos e eu a tratava como uma deusa, até o jeito de tocá-la,. falar com ela, mas não trasavamos, com o tempo eu e ela começamos a trocar carícias mas acentuadas, mais ardentes com tesão no popular, mas eu sentia que do meu peito saia amor cada vez maior por ela e também sentia o amor saindo do seu peito, era como se eu absolvesse seu magnetismo, sua energia, ao mesmo tempo eu fazia trabalho de caridade no centro como distribuir sopa para os necessitados,

    ResponderExcluir
  3. eu aplicava o evangelho em mim mesmo, me tornei vegetariano e comecei a vigiar até minhas palavras, e meu pensamento continuava no dialogo interior, era como se eu estivesse esclarecendo outro ser dentro de mim mesmo, que a cada vez ficava mais manso, dócil, eu tentava me livrar da dor que me consumia a cabeça, num estado de desespero silencioso, depois de 1 ano de namoro decidirmos transar, mas eu estava muito sensível, e estava muito nervoso, não conseguia transar com ela, simplesmente falhei, não tive ereção ( pois estava sentindo como se meu corpo estava sendo transformado por dentro,sentia energias se movendo dentro do meu corpo e como se eu estivesse passando por uma espécie de rejuvenecimento e evolução biológica, sentia os órgãos internos sendo refeitos), fizemos outras tentativas, mas mesmo com ereção ficava muito nervoso e tinha ejaculação precoce, estava captando energias até dos ambientes ela acabou por me deixar, e depois de 3 dias andando e agindo como se fosse um zumbi eu ouvi no meu ouvido na minha cama antes de deitar uma voz dizendo para PERDOÁ-LA, no mesmo instante fiz uma oração com todo o coração por ela e por toda a humanidade, grossas lágrimas escorreram pela minha face e meu coração explodiu como se fosse uma bomba atômica,

    ResponderExcluir
  4. senti uma grande quantidade de energia se deslocando do chacra genésico para o coração, também senti como camadas fosses rompendo dentro do meu coração e senti uma presença dentro do peito alvo vivo dentro de mim, no mesmo instante senti que dois seres apareceram no meu quarto com uma sensação de amor infinito por mim, um deles tocou minha testa e sentir uma energia me inundando e adormeci imediatamente depois de anos sem praticamente dormir, foi minha primeira noite de sono cerca de 8 horas depois de anos, me vir voando para um lugar diáfamo e lá conversei com uma entidade feminina que senti que era iluminada e me disse que ela iria voltar, quando acordei no outro dia algo dentro de mim havia mudado, sentia amor pelas pessoas e estabeleci um prazo de 10 dias para ela voltar, o que aconteceu de fato, mas o namoro já não era o mesmo, sentia que em breve ela iria me deixar definitivamente, um dia a beijando tive algo estarrecedor, senti que ela havia me destruído numa vida passada e sentir um profundo ódio por ela, mas passou em questão de segundos e tive a intuição que deveria amá-la profundamente e foi o que fiz, meu amor por ela só crescia, mas ao mesmo tempo que crescia pelas pessoas, pessoas que eu nem conhecia, animais e até as pedras, minhas orações noturnas comecei a sentir lágrimas descendo e um amor cada vez maior pelas pessoas, animais,sentia a energia saindo do meu peito, outra coisa que começou a acontecer foi que comecei a me concentrar na testa, cada vez mais quando orava, porque tinha lido em algum livro espiritualista que a luz aniquilava os bácilos psíquicos da mente e que os mesmos era provenientes de vidas passadas mal vividas e que era necessário incenerá-las através da luz, comecei a orar me concentrando na testa e sentia uma energia fortíssima na testa num ponto entre as sombrancelhas como se fosse uma brasa enterrada na minha testa,o engraçado é que a dor não diminuía, fazia era aumentar,mas eu ficava cada vez mais forte interiormente, comecei a me sentir uma fortaleza ambulante, já não reclamava interiormente da dor descomunal que sentia na cabeça, na verdade comecei a agradecer, era como se estivesse resgatando algo, nessa época já estava estudando tudo que aparecia pela frente em termos de livros espiritualistas, espiritas, yoga, etc, numa sede de conhecimento sem fim, mas sentia que estudava muita coisa que era muito superficial , ainda não tinha lido nada sobre kundalini e como funcionava seu mecanismo e como funcionava em relação ao sexo com amor, no meu namoro continuamos os sarros e tentavamos transar, mas eu não conseguia e ela também ficava nervosa, mas eu a tocava cada vez mais com veneração e ela me confessou que sentia tanto amor por mim que tinha medo, me confessou que depois que voltamos quando a beijei ela sentiu o coração arder em chamas, como algo tivesse se abrindo,

    ResponderExcluir
  5. na mesma hora eu soube que ela também ativou seu chacra cardíaco, continuamos um tempo de namoro, mas eu continuei a sentir que o namoro não iria para frente e que eu devia me preparar para o momento da ruptura, e foi o que eu fiz, estava vivendo de uma forma que sentia amor sair do meu peito para todos e para tudo,sentia a energia mesmo, no centro espírita que frequentava das minhas mãos saia uma energia fortíssima que sentia que era usada para cura, também comecei a captar os pensamentos das pessoas, tanto encarnados como desencarnados, era como se eu soubesse em essência o que as pessoas estavam pensando e sentindo, a minha cabeça começou a pesar como se pesasse 1 tonelada, era como se todo meu ser estivesse dentro da minha cabeça, eu continuava estudando e aplicando tudo em mim mesmo ao mesmo tempo que desejava todo o bem para as pessoas, comecei a sentir uma humildade infinita, tratava todos os seres,, até as formigas com carinho e amor, as vezes sentia uma luz invadir minha mente, mas não conseguia distinguir o que era, quando houve a ruptura do namoro, me sentir uma tristeza sem fim, mas mesmo assim sentia um amor cada vez maior por ela e por todos os seres, sentia que tinha aberto um buraco no meu peito, numa palestra no centro kardecista que frequentava aconteceu algo estranho, mas que não dei muita importância na hora, no momento que fazia uma oração ardente abençoando as pessoas, o mundo, todos os que sofrem, senti que algo foi simplesmente acoplado na base da minha coluna com uma força descomunal mas que não me machucou,depois de 2 semanas que tinha o namoro terminado eu fui a uma danceteria, com um amigo, mas na noite anterior antes de dormir ,, (agora eu já conseguia dormir) eu senti que alguém me dizia uma voz interior que ia ser me dada uma oportunidade raríssima, que algo grandioso ia acontecer, eu fiz foi desdenhar, e respondi interiormente," o que vai ser, pois já ´passei por tanta coisa, como essa dor infinita que consome minha cabeça e essa dor moral do coração por ter aberto um buraco no meu peito, antes de prosseguir, quero dizer que quando dormia, era como se estivesse desperto do lado de lá,, sentia que ia para muitos lugares bonitos e falava telepaticamente com entidades de luz, e também sentia como se sons perpasse por mim que eu era os sons que ouvia do lado de lá,, sons lindos e harmônicos,, não dá para explicar direito,, voltando a danceteria, chegando lá comecei a dançar como um jovem normal, a danceteria estava cheia, e fiquei atrás de uma moça dançando a poucos cm de suas nádegas, mas sem nenhum sentimento de sensualidade, mas de repente sentir uma força descomunal nas genitálias e uma ereção avassaladora juntamente com um fogo que parecia um vulcão em chamas com uma pressão que parecia um imã gigantesco sugando as energias do ambiente e uma sensação de luxuria descomunal, e querendo acoplar naquela moça nas suas nádegas,

    ResponderExcluir
  6. me assustei imediatamente e mudei de lugar, sentia mesmo a energia ao redor, no outro local voltei a dançar normalmente, mas a moça que estava na minha frente seus cabelos ficaram presos no meu botão da minha camisa e ela tentou desprender e chamou minha atenção por isso de forma ríspida e eu respondi com autoridade que ela que chegou muito para trás, eu consegui desfazer o entrelaçamento do seus cabelos nos botões da minha camisa e ela continuou a dançar na minha frente, ela era bem bonita, de repente eu sentir novamente a onda de calor ensurdecedor e uma ereção vigorosa com uma força de um imã gigantesco, como se um vulcão quisesse entrar em erupção, sem falar da sensação de luxuria, vontade de possuí-la a moça, e sentir uma voz interior me dizendo para apenas observar, foi isso que fiz e me deu uma vontade infinita de fazer uma oração ali mesmo naquele local, eu fiz a oração pedindo a Deus que jamais iria trair o amor infinito que sentia pela minha ex namorada, lágrimas desceram do meus olhos, como estava a meia luz ninguém percebeu, no mesmo instante senti que algo explodiu numa força violenta nos genitais como um vulcão e subiu para meu coração e senti uma rajada de luz abrindo no meu peito, quando sai da danceteria senti algo estranho e especial gritando dentro de mim que eu tinha vencido, peguei meu carro e fui para casa dormir com a sensação que algo extraordinário tinha ocorrido, chegando em casa,
    ao deitar na cama ao fazer minha oração sentir uma energia sendo sugada da base da coluna numa força e pressão de outro mundo, uma calor como se estivesse pegando fogo minhas genitálias e a medida que orava lágrimas grossas corriam pela minha face na medida que sentia algo subindo pela coluna com um barulho ensurdecedor, algo maravilhoso e assustador, mas eu me entreguei a Deus nesse momento, e senti chegar a energia na base da nuca e senti uma leveza incrível no corpo, adormeci imediatamente, no outro dia acordei com uma alegria infinita, parecia que tudo estava bom, sentia uma alegria que parecia que ia explodir a qualquer momento e um amor infinito pelas pessoas, caminhava e parecia que não tinha peso corporal, me sentia como uma balão inflável a alçar vôo, nesse mesmo dia fui com meu irmão buscar meu pai no trabalho dele eu já tinha 25 anos,

    ResponderExcluir
  7. na volta estavamos ouvindo uma música instrumental suave no carro, quando de repente eu olhei para a janela para uns cavalos soltos no terreno próximo a estrada, simplesmente sentir um amor infinito por eles e de repente eu era os cavalos e eles eram eu, e me vi que eu era tudo naquele instante, isso foi numa segunda feira, continuei sentindo um amor irradiando do meu peito de forma espontânea para todos e tudo, quando fui tomar banho, já tomava banho frio, no instante que a água caiu sobre mim, senti nos chacras ela caindo por cima dele, consegui senti todos os chacras, já não tinha pensamentos e uma sensação de unidade, quando foi na quarta feira, fui assistir uma palestra no centro espírita que frequentava, mas na medida que o orador falava, eu só sentia vontade de abraçar as pessoas, na verdade parecia que estava em outra dimensão,, quando acabou fui encontrar um pessoal que distribuíamos sopa para pessoas carentes, chegando lá, vi uma criança maltrapilha e que estava fedendo por não tomar banho a vários dias, me deu vontade de pegá-la no colo, mas minha mente entrou em ação a dizer,, "essa criança está fendendo" e o meu verdadeiro eu, " eu disse eu não sou diferente dela,, tenho que extirpar qualquer sentimento de superioridade" e a peguei no colo,, e comecei a brincar com ela e apontando para a lua ( lua cheia lindíssima,,)) e ficava falando com ela lua, lua,,, e de repente uma alegria infinita se apossou de mim ,,, e pela plantas dos meus pés senti milhões de volts me inundando, eu era pura energia, quando voltei olhar para a lua eu era ela, e era tudo,era o universo inteiro,simplesmente desapareci, não tinha mais eu,uma sensação de humildade e poder infinito, ao mesmo tempo que um amor que parecia que ia explodir tomaram conta de mim, quando cheguei em casa,, simplesmente adormeci conscientemente, era como se do outro lado estivesse em unidade também sem centro espalhado pelo cosmos, quando acordei, notei que os sons dos pássaros tinham uma harmonia incrível eu era os sons, comecei a ouvir os sons divinos,, eu era eles também ao mesmo tempo que ouvia, e não tinha mais mente,, pensamentos descomunais de inteligencia pura começaram a trovejar na minha mente, sabia tudo instantaneamente mas sem intelecto,

    ResponderExcluir
  8. ao mesmo tempo que sentia a unidade da inteligência,interpenetrando tudo e a todos eu era tudo isso e não era nada,fiquei nesse estado de amor, união com o cosmo 3 meses, não tinha tempo, passado, futuro,,, ou mesmo eu,, eu era o ser,,, o nome que queira dá,, e sentia um respeito ilimitado por tudo, já que meu corpo passou a ser o corpo da formiga, do meu pai, mãe,, pessoas que nunca vi e planetas distantes,,,, não dá para explicar a experiência mística em palavras parecia que eu não existia e existia ao mesmo tempo, meu corpo parecia que desafiava a lei de gravidade, sentia como se flutuasse ao andar, não tinha absolutamente peso nenhum e passei a ficar desperto com plena consciência mesmo nas horas de sono. eu descobri o que é nirvana, mas não sabia nada disso na época, sei hoje porque li vários livros sobre o assunto e kundalini, perdi a oportunidade da iluminação porque quis saber notícias dela da minha ex namorada, procurei uma moça que era amiga da minha ex namorada e já tinha tido um caso com ela antes de começar o namoro(nos transavamos quando ficavamos juntos) , resultado me deixei levar pela sensualidade e tirei um sarro com ela, não chegamos nem a transar, mas eu ejaculei e sentir a energia descendo pela coluna,

    ResponderExcluir
  9. eu cheguei mesmo a ser advertido mas encima da hora como um trovão me falou na minha mente" se fizer isso talvez vocÊ não se recupere nessa vida" mas não dei importância, resultado perdi a iluminação, a kundalini desceu, e hoje tenho 43 anos, sou bem experiente sexualmente, mas isso não me interessa mais, só a iluminação me interessa, minha iluminação foi aos 25 anos, e estou pronto novamente para tentar a ascenção espiritual, o mais interessante que depois de uma 1 década que a minha ex namorada terminou o namoro comigo, nos reencontramos e casamos, mas tenho que admitir eu já não sinto amor por ela, mas mesmo assim continuo com ela porque tenho 2 filhas e pretendo me iluminar assim mesmo, porque sinto que é um compromisso interior da minha alma. 

    ResponderExcluir